O chamado cinema western, também popularizado sob os termos "filmes de cowboys" ou "filmes de faroeste", compõe um género clássico do cinema norte-americano (ainda que outros países tenham produzido westerns, como aconteceu em Itália, com os seus western spaghetti). O termo inglês western significa "ocidental" e refere-se à fronteira do Oeste norte-americano durante a colonização. Esta região era também chamada de far west - e é daqui que provém o termo usado no Brasil e Portugal, faroeste (também se usou o termo juvenil bang-bang, na promoção das antigas matinês e de quadrinhos). Os westerns podem ser quaisquer formas de arte que representem, de forma romanceada, acontecimentos desta época e região. Além do cinema, podemos referir ainda a escultura, literatura, pintura e programas de televisão.
Ainda que os westerns tenham sido um dos géneros cinematográficos mais populares da história do cinema e ainda tenha muitos fãs, a produção de filmes deste género é praticamente residual nos tempos que correm, principalmente depois do desastre comercial do filme Heaven's Gate (As portas do céu, em Portugal e O portal do paraíso no Brasil), de Michael Cimino, no início da década de 1980. Contudo, houve ainda alguns sucessos comerciais posteriores que foram, inclusive, galardoados com o Óscar de melhor filme, como Dances with Wolves (Dança com Lobos) de Kevin Costner, ou Unforgiven (Os Imperdoáveis, no Brasil) de Clint Eastwood. Mas os westerns que vêm à memória da maioria dos cinéfilos são, mesmo, os da sua época áurea: os filmes de John Ford, Howard Hawks, entre outros nomes primeiros do cinema.

Contato: jeancarlospassos@hotmail.com
ou sombrasvermelhasfaroeste@hotmail.com

(0XX73) - 9111-3116 - CELULAR DA TIM.
(0XX73) - 9904-5595 - CELULAR DA VIVO.
(0XX73) - 8212-1356 - CELULAR DA CLARO.
(0XX73) - 8892-6531 - CELULAR DA OI.


sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

TIM HOLT - ESPECIAL 12 FILMES


01- emboscada da caravana
02- ouro maldito




                                                           01- cavalgando ao vento
                                        02- a diligência marcada



                                                                 01- ambição desemfreada
                                              02- fronteiras em luta  




                                                01- jogada infeliz
                                       02- cavaleiro de tucson 



                                                       01- ladrões de rancho
                                            02- soldado até o fim



                                                        01- sabotagem nas campinas
                                      02- rivalidade perigosa
                                                       


                                                 TIM HOLT


Tim Holt, nome artístico de Charles John Holt III, (Beverly Hills, California, 5 de fevereiro de 1919 - Shawnee, Oklahoma, 15 de fevereiro de 1973), foi um ator estadunidense, conhecido não só por estrelar dezenas de faroestes B mas também por trabalhar com diretores de prestígio, como John Ford, John Huston e Orson Welles, entre outros.
Tim Holt passou a maior parte da infância no rancho da família, em Fresno e estreou no cinema em Fibra de Herói (The Vanishing Pioneer, 1928), estrelado por seu pai, Jack Holt. Em 1933 entrou para a Academia Militar de Culver, Indiana. Lá se destacou em vários esportes, como futebol americano, pólo e boxe, e também no teatro. Após voltar para a Califórnia, decidiu-se definitivamente pelo cinema, começando com um pequeno papel em A História Começou à Noite (History Is Made at Night, 1937). Sua carreira ganhou impulso ao participar de No Tempo das Diligências (Stagecoach, 1939), de John Ford. De 1941 a 1943 trabalhou em filmes importantes e estrelou uma festejada série de pequenos faroestes para a RKO, inclusive durante as licenças da Força Aérea, onde se alistara em 1942. Já como Tenente, Holt lutou no Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial, tendo tomado parte em cinqüenta e nove missões a bordo de um bombardeiro B-29.
Depois de dar baixa em 1945, Holt voltou ao cinema, inicialmente em Paixão de Fortes (My Darling Clementine, 1946), outro filme de Ford. Entre 1948 e 1952 fez sua segunda e mais famosa série de faroestes para a RKO. Já fora do cinema, Holt mudou-se para um rancho no Oklahoma e trabalhou na televisão, inclusive no piloto da série não aprovada, "Adventure in Java", com Charles Bronson. Nos anos 1960, foi executivo em Denver, Colorado. Em 1971 voltou para Oklahoma City, Oklahoma, onde assumiu o departamento comercial de uma emissora de rádio. Nesse mesmo ano fez sua última aparição no cinema, no policial This Stuff'll Kill Ya.
Holt trabalhou num dos maiores filmes de todos os tempos, ''O Tesouro de Sierra Madre''.
Em 1972 foi diagnosticado com câncer no cérebro, vindo a falecer em quinze de fevereiro do ano seguinte, em Shawnee, Oklahoma. Holt foi casado três vezes. Suas esposas foram: Virgina Mae Ashcroft (1938-1944), Alice Harrison (1944-1951) e Birdee Stephens, de 1957 até sua morte. Foi pai de três filhos: Jack, Bryanna e Jay.




ESPECIAL DE FILMES DE TIM HOLT. 12 FILMES DIVIDIDOS EM 6 DVD'S. 2 FILMES DE EXCELENTE QUALIDADE. 10 FILMES COM IMAGENS BOAS OU REGULARES. 3 COLORIDOS, OS OUTROS PRETO & BRANCO. 


TODOS OF FILMES SÃO DUBLADOS EM PORTUGUÊS.




  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Problemas? Sugenstões? Dúvidas? Informe... jeancarlospassos@hotmail.com